Simpósio Nacional de Geografia Urbana

GT-3: Cidades médias e reestruturação urbana: tendências empíricas e desafios teóricos

Coordenadores: Maria Encarnação B. Sposito – UNESP/PP – UFRJ, Rita de Cássia da Conceição Gomes – UFRN, Saint Clair Trindade Junior – UFPA, Vitor Koiti Miyazaki – UFU e William Ribeiro da Silva – UFRJ

A temática da urbanização orientada pelo desenvolvimento do capitalismo industrial caracterizou-se pelo intenso crescimento do número e do tamanho das cidades, levando à intensificação do processo e à mudança de sua qualidade, o que foi expresso pelo papel protagonista exercido pelas metrópoles no que se refere ao comando econômico e político, e, sobretudo, aos modos de ser, pensar e viver da sociedade. Tais questões já foram amplamente analisadas e refletidas por meio de teorias e publicações que expressam os períodos históricos do processo.
As redefinições pelas quais o modo de produção vem passando, nas últimas décadas, constituem um novo momento, o que se reflete e se apoia na própria reestruturação urbana e das cidades. Há uma nova divisão interurbana do trabalho e uma nova divisão social e econômica dos espaços urbanos, o que tem rebatimento nos papéis exercidos por todas as cidades das redes e sistemas urbanos.
A compreensão dos territórios tornou-se mais complexa e as cidades médias, aquelas que desempenham funções de intermediação na rede urbana, vêm revelando o escopo de tais mudanças, num período de intensificação das relações internacionais, sob a égide da globalização. Algumas delas ampliam seus papéis, outras perdem posição na hierarquia urbana, várias se articulam não apenas no âmbito das redes a que pertencem, mas também na escala internacional, além  de expressarem conteúdos e agentes econômicos regionais relevantes em suas conexões com as metrópoles.
Tendo em vista este quadro, o modo como as articulações entre escalas geográficas efetuam-se no período atual requer a ampliação e o aprofundamento da reflexão sobre as relações entre cidades e entre elas e o campo. Nesse contexto, ocorrem amplas alterações acerca da localização industrial, da atividade comercial e dos serviços, com operações em redes por grande e médias companhias (regionais, nacionais ou internacionais), tais como os shopping centers, hipermercados, sistema de franquias etc.
Por fim, é importante reconhecer o legado dos estudos relativos às metrópoles, tanto no plano conceitual como no plano empírico, mas destacar que a construção de uma ampla teoria sobre a urbanização exige a leitura ampla das redes e sistemas urbanos. Como refletir sobre as cidades médias numa teoria da urbanização para o Século XXI? Quais conceitos poderiam ser propostos para embasamento teórico da análise? Quais práticas metodológicas estariam correlacionadas a estes instrumentos teóricos? Como avançar das noções em uso para conceitos articulados a teorias?

 

Trabalhos aprovados no GT-3:

 

1. AFONSO MUZZO ALVES. CARACTERIZAÇÃO DA FRAGMENTAÇÃO SOCIOESPACIAL A PARTIR DA ANÁLISE DE REDES SOCIAS: O CASO DE MARINGÁ (PR)

2. ANA CLARA DE SOUZA PEREIRA, MARINE LUIZA DE OLIVEIRA MATTOS. PLANOS DIRETORES EM CIDADES MÉDIAS: UMA COMPARAÇÃO DA APLICAÇÃO DOS PLANOS DOS MUNICÍPIOS MINEIROS CONSELHEIRO LAFAIETE E MURIAÉ

3. ANDRÉ LUIS CARRILHO, CÁSSIA REGINA SEGNOR, LAURA NIENOW SCHEFFER. (CON)FORMANDO CIDADES E OS INTERESSES DA SOCIEDADE A IDEIA DAS SMART CITIES COMO HETEROTOPIA URBANA

4. EDUARDO DE ARAUJO DA SILVA. A (RE)PRODUÇÃO FRAGMENTADA DO ESPAÇO URBANO DE POÇOS DE CALDAS (MG): SEGREGAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL.

5. ELIANE MELARA, MONIQUE DEISE BASTOS, WILLIAM RIBEIRO SILVA. A REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E URBANA E O AUMENTO DA VIOLÊNCIA CRIMINAL: UM PROBLEMA PARA AS CIDADES MÉDIAS?

6. GABRIEL MAGALHÃES CAMPOS DE SOUSA. REESTRUTURAÇÃO URBANA EM RESENDE-RJ: UMA ANÁLISE DO CENTRO E NOVAS CENTRALIDADES DA CIDADE – OS IMPACTOS DOS SHOPPING CENTERS NA ESTRUTURA INTERNA DE CIDADES MÉDIAS.

7. JUSCELINO GOMES LIMA. O SERTÃO EM ARTICULAÇÃO: PAPEIS E DETERMINAÇÕES URBANO-REGIONAIS A PARTIR DE UMA CIDADE DE COMANDO REGIONAL PIAUIENSE

8. LILIAN MARA DE CASTRO AZEVEDO. IMPLANTAÇÃO DE CONDOMÍNIOS FECHADOS NA CIDADE DE ALFENAS/MG: UMA ANÁLISE SOCIOESPACIAL

9. NATÁLIA DANIELA SOARES SÁ BRITTO. REESTRUTURAÇÃO IMOBILIÁRIA NO BRASIL “NÃO METROPOLITANO”: UM ESTUDO SOBRE A PRODUÇÃO RESIDENCIAL EM PELOTAS (RS)

10. NELCILENE LIMA SILVA. COALIZÕES DE CRESCIMENTO NA PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: O CASO DO MANGABEIRA SHOPPING E DO TREVO DAS MANGABEIRAS EM JOÃO PESSOA/PB

11. PATRÍCIA HELENA MILANI. OS MUROS MANTÊM AQUILO QUE VOCÊ QUER FORA MESMO, É SUPER BURGUÊS: A PRODUÇÃO DA DIFERENCIAÇÃO SOCIOESPACIAL EM CIDADES NÃO METROPOLITANAS

12. RAMON COELHO DUARTE, ISABELLE DE PAULA PIMENTEL, NAYARA JAMINE SILVA. FRANQUIAS, FORMAS URBANAS QUE REFORÇAM A CENTRALIZAÇÃO EM UMA CIDADE MÉDIA IMERSA NO PROCESSO DE INÉRCIA: O CASO DE OURO PRETO-MG.

13. SARA BRUNA COSTA DA SILVA. A REDEFINIÇÃO DA CENTRALIDADE INTRAURBANA DE UMA CIDADE MÉDIA PARAENSE: O CASO DE MARABÁ/PA

14. VICTOR MIRANDA LOUZADA. APROXIMAÇÕES ENTRE O EMPRESARIAMENTO URBANO E REESTRUTURAÇÃO DE CIDADES MÉDIAS: O CASO DO SHOPPING CENTER DE CABO FRIO

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910